Iniciativas Iniciativas Procura de parceiros
 

Iniciativa - mais informação
parceiro responsável pela parceriaISA - Instituto Superior de Agronomia
Designação da parceriaMACFERTIQUAL
Iniciativa a desenvolverOtimização da nutrição em pomares de alta densidade de ‘Gala’ e ‘Fuji’ sobre M9 e M7, visando a qualidade da maçã de Alcobaça. Propõe-se estabelecer os níveis críticos foliares dos nutrientes em diferentes fases do ciclo, desenvolvendo metodologias de mon
Parceiros
Prioridade TemáticaMelhoria da gestão dos sistemas agroflorestrais
Domínios
NUTS IPortugal Continental
Identificação do problema ou oportunidadeEm Portugal, o diagnóstico do estado nutricional dos pomares de macieira é efetuada através da análise de folhas recolhidas 90 a 120 dias após a plena floração (DAPF), tal como se recomenda nas Normas Técnicas para a Produção Integrada de Pomóideas (DGADR, 2012) e no Manual de Fertilização das Culturas (INRB IP, 2004).
A utilização desta metodologia nos pomares de alta densidade da Maçã de Alcobaça, levanta dois problemas:
1. Os “níveis críticos ou gamas de valores adequados” de teores de nutrientes nas folhas, publicados nos documentos referidos, poderão não ser os mais adequados para os pomares de alta densidade da Maçã de Alcobaça. Esses níveis críticos foliares baseiam-se ou em bibliografia estrangeira ou em dados obtidos em Portugal para pomares com características muito diferente dos atuais pomares e sujeitos a esquemas/intensidades de fertilização bastante distintos.
2. A análise foliar aos 90-120 DAPF origina um resultado do diagnóstico numa fase muito avançada do ciclo. Por este motivo, em termos práticos, qualquer situação de carência ou toxicidade de nutrientes vegetais detetada através da análise foliar aos 90-120 DAPF, dificilmente poderá ser corrigida no próprio ano, podendo a produção e a qualidade dos frutos desse ano ser seriamente comprometida.
A metodologia de diagnóstico implementada e recomendada em Portugal é muito limitada quanto à possibilidade de se fazerem intervenções no próprio ano, servindo apenas de base para a recomendação de fertilização do pomar no ano seguinte. Por outro lado, não estão, ainda, implementadas metodologias que permitam fazer deteções precoces de carências e/ou toxicidades e intervenções/correções atempadas, cujos efeitos se manifestem na produção e na qualidade dos frutos do próprio ano. Muitas OPs recorrem a análises de seiva efetuadas no estrangeiro, as quais uma vez desenvolvidas e validadas em Portugal podem constituir uma importante ferramenta de diagnóstico e tomada de decisão precoce para as empresas nacionais.

Objetivos visados 1- Monitorizar os teores de nutrientes durante 5 anos em 20 pomares intensivos (10 de Fuji e 10 de Gala) em diferentes órgãos, durante diferentes fases do ciclo e com diferentes tipos de análises. Estes pomares são de fruticultores pertencentes às seguintes OPs (Organização de Produtores): Granfer, Frubaça e Campotec.

2- O objetivo será conseguir identificar valores de referência para os nutrientes que forem considerados chave para a produção e qualidade da maçã de Alcobaça. Esses valores de referência deverão ser estabelecidos para cada tipo de órgão (flores, folhas, frutos) e para cada momento do ciclo fenológico, por forma a ter um padrão da evolução de cada nutriente, em cada órgão, ao longo do ciclo vegetativo.

3- Pretende-se conhecer em detalhe a dinâmica dos nutrientes em diferentes órgãos ao longo do ciclo, bem como as correlações entre os diferentes tipos de análises.

4- Pretende-se ao fim de 5 anos obter os níveis críticos/gama de valores adequados definitivos não só para análises foliares standard (90-110 dias DAPF) mas também para outro tipo de análises que possam ser efetuadas numa fase mais precoce do ciclo.

5- Implementar e validar metodologias expeditas suscetíveis de serem implementadas pelos fruticultores in loco para monitorização do estado nutricional dos pomares.

Os 20 pomares selecionados onde serão realizados todas as ações previstas são:

GRANFER: 4 pomares com diferentes compassos e anos
Gala Brookfield/M9 4,73 ha
Fuji Frubac/M7 6,6 h
Fuji Frubac/ 3,52 ha
Fuji Frubac/ M9 3,44 ha

FRUBAÇA: 6 pomares com diferentes compassos e anos
Gala Schniga/M9 7 ha
Gala Brookfield/M9 0,6 ha
Gala Brookfield/M9 4 ha
Gala Brookfield/M9 2 ha
Fuji Frubac/M9 1 ha
Fuji Frubac/M9 1,5 ha

CAMPOTEC: 10 pomares com diferentes compassos e anos
Gala Schniga/M9 1,83 ha
Gala Brookfield/M9 0,89 ha
Gala Schniga/M9 1,2 ha
Gala Schniga/M9 1,15 ha
Gala Schniga/M9 3,5 ha
Gala Brookfield/M9 2,5 ha
Gala Schniga/M9 1,2 ha
Fuji Fubrac/M9 1,70 ha
Fuji Fubrac/M9 0,93 ha
Fuji Fubrac/M9 1,75 ha
Tipologia de resultados a atingir e potenciais beneficiáriosA obtenção gamas de referência/níveis críticos de nutrientes estabelecidos para os pomares de alta densidade da Maçã de Alcobaça permitirá a correta interpretação dos resultados das análises de forma mais adaptada às produtividades atualmente conseguidas e numa fase mais precoce do ciclo com possibilidade de correção no próprio ciclo.
Os resultados permitirão identificar valores de referência para os nutrientes que forem considerados chave nas nossas condições. Esses valores de referência serão estabelecidos para cada tipo de órgão (flores, folhas, seiva e frutos) e para cada momento da fase fenológica, por forma a ter um padrão da evolução de cada nutriente, em cada órgão, ao longo do ciclo vegetativo.
O desenvolvimento de técnicas expeditas de avaliação do estado nutricional das culturas, executadas pelos agricultores na própria exploração tem grande interesse para os produtores que assim poderiam avaliar as suas práticas de fertirrega com mais segurança e racionalidade.
Para além de se obterem diretivas mais adequadas à realidade presente, o conhecimento do estado nutricional dos pomares permitirá uma melhoria da eficiência do uso dos fertilizantes a aplicar e uma melhoria da produtividade e da qualidade da maçã produzida.

Os destinatários potenciais são em primeira mão os produtores de Maçã de Alcobaça associados de cada uma das Organizações de Produtores envolvidas e que serão parceiros ativos do presente grupo Operacional:
a) CAMPOTEC - Comercialização e Consultadoria de Hortofrutícolas, SA
- Nº de associados: 104
b) FRUBAÇA - Cooperativa de Fruticultura, Crl
- Nº de associados: 25
c) GRANFER - Produtores de Frutas, Crl
- Nº de associados: 10

Tendo em consideração que estas OPs são associadas da APMA que também é parceiro neste Grupo operacional, os resultados deste projeto irão ser divulgados diretamente aos associados desta entidade, sendo estes igualmente destinatários potenciais.
A APMA que é composta por 13 associados, que por sua vez representam aproximadamente mil produtores, ligados às seguintes Organizações de produtores:
a) CASA AGRÍCOLA RIBEIROS SAG
Nº de associados: 4
b) COOPERFRUTAS - Cooperativa de Produtores de Fruta e Produtos Hortícolas de Alcobaça, Crl
Nº de associados: 130
c) FRUTALVOR- Central Fruteira, Crl
Nº de associados: 18
d) FRUTICORDEIRO, LDA
Nº de associados: 2
e) FRUTUS - Estação Fruteira do Montejunto, Crl
Nº de associados: 18
f) LUSOFRUTA - Cooperativa Agrícola do Concelho de Porto de Mós, Crl
Nº de associados: 261
g) NARCFRUTAS Cooperativa de Fruticultores e Horticultores da Região de Alcobaça, Crl
Nº de associados: 10
h) OBIROCHA Cooperativa de Fruticultores da Região de Óbidos, Crl
Nº de associados: 15
i) QM FRUTAS SAG
Nº de associados: 4

Como a APMA é associada do COTHN, que será a entidade responsável pelas ações de divulgação e comunicação dos resultados do presente projeto, garante-se de certa forma a ligação com a totalidade dos beneficiários potenciais do projeto.
O facto do universo de potenciais destinatários do projeto se restringir à produção organizada provem/resulta do facto de que os resultados do presente projetos necessitam de acompanhamento técnico para serem implementados juntos dos agricultores. Além de que é a produção organizada que consegue os mercados mais competitivos tanto ao nível da quantidade como da qualidade da Maçã de Alcobaça, sendo por isso os resultados esperados deste Grupo Operacional, perfeitamente ajustada para esta situação.
InterlocutorCristina Moniz Oliveira
MoradaInstituto Superior de Agronomia - Tapada da Ajuda
LocalidadeAlcântara - Lisboa
Código postal1349 - 017
Telefone213653369
Iniciativa semelhante 
  

 


Desenvolvido pela informática da DGADR
WAI-A