Iniciativas Iniciativas Procura de parceiros
 

Iniciativa - mais informação
parceiro responsável pela parceriaADPM - Associação de Defesa do Património de Mértola
Designação da parceriaTinturaria natural - Utilização dos corantes naturais em fibras naturais
Iniciativa a desenvolverPretende-se desenvolver a cultura extensiva de plantas tintureiras potenciando o aparecimento de uma indústria eco-sustentável de corantes naturais, para tingir a lã da ovelha campaniça satisfazendo as necessidades empresariais e criando emprego.
Parceiros
Prioridade TemáticaMelhoria da integração nos mercados
Domínios
NUTS IPortugal Continental
Identificação do problema ou oportunidadeO presente grupo operacional pretende desenvolver um trabalho multidisciplinar que tem como objetivo aproveitar a lã da ovelha campaniça para o fabrico de fios com tingimento natural, de forma a poder dar continuidade à utilização deste tipo de lã, permitindo a criação de produtos com características diferenciadoras e o incremento da economia local e nacional.
Nas últimas décadas algumas empresas, como a Ecolã, a Beiroa, a Texwool e a Burel factory e as cooperativas Capuchinhas e Oficina de Tecelagem de Mértola, conseguiram manter a sua atividade, aliando a experiência da manufatura tradicional da lã com tecnologias atuais, o que lhes permitiu exportar 85% da sua produção.
O mercado atual disponibiliza fios importados feitos à base de fibras sintéticas e baixas percentagens de lã natural. Hoje em dia está a surgir a procura de fios naturais, tingidos com corantes naturais, que o nosso país não está a produzir, apesar de ser um dos mais antigos criadores de ovelhas da Europa e ter no passado uma importante atividade na área da tinturaria natural.
O ressurgir da atividade de produção de fio de lã com recurso à tinturaria natural coloca como principal problema a falta de conhecimento das cooperativas/empresas no tingimento natural das fibras têxteis, em que as cores resistam bem à luz solar e às lavagens.
O grupo operacional pretende criar uma plataforma que dialogue com todos os intervenientes do setor nas quatro etapas desta atividade – a produção das plantas, a extração dos corantes, o tingimento das fibras e a realização dos testes de controlo/qualidade do tingimento; e a divulgação dos resultados. A atividade a desenvolver em torno da lã conta com o apoio de uma equipa multidisciplinar empenhada em obter bons corantes naturais para tingimento, com boa capacidade de resistência à luz e às lavagens, permitindo assim a realização de produtos inovadores com boa aceitação pelos consumidores nacionais e internacionais.
Objetivos visados O objetivo geral da Iniciativa é a produção de plantas tintureiras para tingir a lã da ovelha campaniça, com a qual seja possível realizar produtos inovadores de valor acrescentado. Como existe algum desconhecimento sobre os processos de tingimento natural por parte das empresas nacionais pretende-se criar uma ponte entre o conhecimento científico existente e as necessidades concretas da indústria de tinturaria.
Este GO pretende apoiar o produtor no cultivo de plantas tintureiras economicamente viáveis, como a garança, o pastel-dos-tintureiros e o lírio-dos-tintureiros, ou estudar outras espécies endémicas mais promissoras e adaptadas às condições edafoclimáticas de Portugal. Além disso, pretende-se também estabelecer uma coleção de espécies de plantas tintureiras e a adaptação destas ao cultivo extensivo com vista à sua valorização económica.
Através desta iniciativa, pretende-se selecionar as espécies vegetais com maior rendimento corante e realizar ensaios de processamento do material vegetal e da extração, de modo a produzir as matérias corantes em escala piloto.
Com o objectivo de apurar os corantes que se fixam na lã e os que apresentam maior estabilidade à luz e às lavagens realizar-se-ão ensaios de tingimento a partir das matérias corantes mais rentáveis e ensaios de solidez para selecionar as cores mais sólidas.
O GO dinamizará o associativismo entre agricultores de forma a rentabilizar o parque de máquinas agrícolas e o acondicionamento e armazenamento da produção.
De modo a promover a demonstração da utilização de plantas tintureiras e transferir os conhecimentos adquiridos através de I&DT para todos os intervenientes da fileira agrícola e têxtil serão desenvolvidos sessões de demonstração do cultivo das plantas em campo, do armazenamento, do processamento e dos processos de tingimento e a disseminação dos resultados em seminários e em manuais técnicos, e outros.
Tipologia de resultados a atingir e potenciais beneficiáriosParceiro Líder: ADPM
Participantes: Todos
Início: Mês 1
Duração: 60 meses
- Estabelecimento de talhões cultivados com plantas tintureiras para demonstração e realização de protocolos a utilizar na cultura extensiva;
- Fichas técnicas para a cultura extensiva de plantas tintureiras;
- Estudo da produtividade, ecosustentabilidade e viabilidade técnico/económica dos corantes naturais extraídos das plantas tintureiras selecionadas. Optimização das concentrações de corantes naturais a fim de maximizar o rendimento colorístico;
- Criação de formulações colorimétricas específicas (com base nos corantes naturais desenvolvidos a partir de plantas índigenas) permitindo o reforço da viabilidade e/ou a criação de novas explorações agrícolas dedicadas;
- Estabelecimento das condições de compatibilidade de mistura de corantes naturais e da reprodutibilidade de processos;
- Ficha técnica com as principais indicações acerca da adequação e aplicação destes biomateriais - renováveis e biodegradáveis - de acordo com o projecto-piloto desenvolvido. Realização de testes de processabilidade biotecnológica e de toxicidade. Análise SWAT e avaliação do impacto ambiental dos corantes naturais;
- Ficha informativa detalhada sobre a relação planta tintureira/corante e potencial aplicação. Adequação à última versão do Global Organic Textile Standards (GOTS);
- Substituição de mordentes metálicos por orgânicos e definição das condições de mordentagem para a aplicação correcta dos novos biomateriais.
- Utilização de sementes, raízes, caules, cascas e folhas das diferentes plantas tintureiras para aumentar a paleta de cores. Indicação do aproveitamento de sub-produtos do processamento dos biomateriais como potenciais fertilizantes.
- As tecnologias propostas permitirão aumentar a comercialização de corantes naturais e fomentar o cultivo das plantas tintureiras, permitindo a evolução para um sector agroindustrial com menor impacto ambiental. Créditos de carbono por redução do consumo de combustíveis fósseis usados na produção de corantes sintéticos;
- Com base no extenso trabalho de investigação desenvolvido pretende-se criar um suporte documental, visando a disseminação do conhecimento adquirido e consolidado nesta acção, nomeadamente ao nível: do cultivo e processamento de plantas tintureiras, dos métodos de extracção específicos e adequados, da potenciação da gama colorística permitida (segundo classificação do colour index) e das formulações colorimétricas optimizadas para aplicação em tingimento natural de fibra de lã.
InterlocutorADPM - Associação de Defesa do Património de Mértola
MoradaLargo Vasco da Gama s/n
LocalidadeMértola
Código postal7750 - 328
Telefone286610000
Iniciativa semelhante 
  

 


Desenvolvido pela informática da DGADR
WAI-A