Iniciativas Iniciativas Procura de parceiros
 

Iniciativa - mais informação
parceiro responsável pela parceriaFCUL - Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa
Designação da parceriaCAVMA - Caracterização, Autenticidade e Valorização da Maçã de Alcobaça
Iniciativa a desenvolverContribuir para a valorização e o reconhecimento da autenticidade da maçã de Alcobaça, assente na sua completa tipificação e guarda da variabilidade.
Parceiros
Prioridade TemáticaMelhoria da integração nos mercados
Domínios
NUTS IPortugal Continental
Identificação do problema ou oportunidadeEm 2014, a produção de maçã situou-se nas 274 mil toneladas, das quais 50 mil da denominada “Maçã de Alcobaça”. A maçã constituiu a principal cultura permanente em Portugal continental, no sector de frutos frescos. A maçã de Alcobaça é associada a uma qualidade superior, tendo elevada procura nacional e internacional. Esta fileira de grande importância económica enfrenta problemas de natureza diversa, quer a montante quer a jusante da sua produção, de que se destaca a não diferenciação do preço em função da qualidade, o que penaliza a maçã de Alcobaça face à maçã de outras proveniências. Com o objectivo de contribuir para o reconhecimento da autenticidade da maçã de Alcobaça, várias entidades uniram-se para, de uma forma integrada, contribuirem para a sua tipificação e valorização.
A tipificação da Maçã de Alcobaça em termos do seu perfil aromático, razão isotópica, aliada ao aspecto, doçura e acidez, entre outros, pode:
- Reconhecer e comprovar a autenticidade e características diferenciadoras da Maçã de Alcobaça, relativamente às de outras proveniências,
- Funcionar como um mecanismo auxiliar de comercialização e como garantia de qualidade que se traduz numa mais-valia da maçã para o produtor,
- Auxiliar na diversificação do destino da maçã, permitindo ajustar a(s) estratégi(s) de marketing de acordo com as preferências do consumidor e,
- Proteger o consumidor, relativamente a adulterações indesejáveis.
Objetivos visados Aprofundar o conhecimento sobre as variedades de Maçã de Alcobaça, traçando com mais detalhe o seu perfil e o seu potencial. Para cumprir esse objetivo, propõe-se:
- Caracterizar o perfil aromático de variedades de Maçã de Alcobaça, designadamente a Gala e Fuji, comparativamente com o das mesmas variedades de outras proveninências, nacionais ou internacionais, para poder definir gamas de variação de referência,
- Avaliar o impacto do armazenamento no aroma, por análise comparativa do perfil volátil após colheita (até 2 semanas após colheita) e após armazenamento (6 a 8 meses),
- Conjugar os dados fornecidos pela avaliação dos parâmetros convencionais com os da análise aromática e do perfil dos principais açúcares solúveis, para definir um conjunto de especificações características da Maçã de Alcobaça, e
- Determinar a razão isotópica das variedades de Maçã de Alcobaça para definir valores de discriminação isotópica particulares de qualidade, decorrentes da sua origem geográfica, e evitar fraudes.

Pretende-se assim, a caracterização das variedades de Maçã de Alcobaça, complementando os dados obtidos pelos descritores morfológicos do fruto (época de maturação, aspecto, tamanho, forma, cor, entre outros) e parâmetros de qualidade (dureza, acidez, teor total em sólidos solúveis), correntemente avaliados, com a informação fornecida pela determinação do conteúdo dos principais açúcares solúveis, razão isotópica e análise sensorial e volátil. Vários atributos, incluindo o aspecto, o sabor, o índice de doçura, a textura e a aspereza determinam a qualidade do fruto. Os compostos voláteis definem o odor e o sabor do fruto, pelo que o estudo da sua composição pode dar um contributo importante no reconhecimento da qualidade da maçã e na preferência do consumidor.
Tipologia de resultados a atingir e potenciais beneficiáriosAs variedades de maçã diferem quanto ao seu aspecto (cor, textura e firmeza) e nos seus atributos organolépticos (aroma, sabor – relação doçura/acidez- e suculência).
A tipificação das maçãs, isto é, a diferenciação, ou classificação, de variedades segundo critérios definidos, visa a padronização e a valorização deste produto regional face ao mercado nacional ou internacional. A qualificação do fruto permite assim definir as suas características e as diferenças em relação às de outras regiões, permitindo ainda disponibilizar ao consumidor informações sobre a qualidade do produto.
O conhecimento adquirido tem uma aplicação na prática produtiva, já que pode reforçar a posição competitiva da Maçã de Alcobaça e fortalecer a qualificação de Indicação Geográfica Protegida (IGP) e permitir uma melhor valorização deste produtos melhorando o rendimento auferido pelos produtores.

Tendo em consideração que estas Organizações de Produtores (OPs) são associadas da Associação dos Produtores de Maçã de Alcobaça (APMA) que também é parceiro neste Grupo Operacional, os resultados deste projecto irão ser divulgados directamente aos associados desta entidade, sendo estes igualmente destinatários potenciais.
A AMPA que é composta por 18 associados, que por sua vez representam aproximadamente 500 produtores, ligados às seguintes Organizações de produtores:
a) CAMPOTEC - Comercialização e Consultadoria de Hortofruticolas, SA
b) FRUBAÇA - Cooperativa de Fruticultura, Crl
c) GRANFER - Produtores de Frutas, Crl
a) CASA AGRÍCOLA RIBEIROS SAG
b) COOPERFRUTAS - Cooperativa de Produtores de Fruta e Produtos Horticolas de Alcobaça, Crl
c) FRUTALVOR- Central Fruteira, Crl
e) FRUTUS - Estação Fruteira do Montejunto, Crl
f) LUSOFRUTA - Cooperativa Agricola do Concelho de Porto de Mós, Crl
g) NARCFRUTAS - Cooperativa de Fruticultores e Horticultores da Região de Alcobaça, Crl
h) OBIROCHA - Cooperativa de Fruticultores da Região de Óbidos, Crl
i) QM FRUTAS SAG

Como a APMA é associada do Centro Operativo Tecnológico Hortofrutícola Nacional (COTHN), que será a entidade responsável pelas acções de divulgação e comunicação dos resultados do presente projecto, garante-se a de certa forma a ligação com a totalidade dos beneficiários potenciais do projecto.
Para além deste beneficiários mais directos, serão considerados beneficiários um grupos mais abrangente costituído por odos os produtores de maça de Alcobaça abrangidos pels zona de produção da IGP.

InterlocutorAna Cristina da Silva Figueiredo
MoradaFaculdade de Ciências da Universidade de Lisboa Departamento de Biologia Vegetal C2, Piso 1 Campo Grande 1749-016 Lisboa
LocalidadeLisboa
Código postal1749 - 016
Telefone217500257
Iniciativa semelhante 
  

 


Desenvolvido pela informática da DGADR
WAI-A