Iniciativas Iniciativas Procura de parceiros
 

Iniciativa - mais informação
parceiro responsável pela parceriaINIAV - Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, I.P.
Designação da parceria"Grupo Operacional de Produção de Proteína Quinoa: Alimentação e Saúde – QUINAS"
Iniciativa a desenvolver"Originária dos Andes, a quinoa, é muito rica em proteína sem glúten. É uma cultura a privilegiar como alternativa na rotação e na alimentação dos celíacos.
Procuramos dar a conhecer a sua adaptação em Portugal, no campo e, no setor industrial.
"
Parceiros
Prioridade TemáticaMelhoria da integração nos mercados
Domínios
NUTS IPortugal Continental
Identificação do problema ou oportunidade"Nos últimos censos anuais foi detetado um crescimento exponencial de crianças intolerantes ao glúten (celíacos), associado a uma grande e acelerada procura de alimentos sem glúten.
Em Portugal, contribuir para uma dieta isenta de glúten não é fácil porque inúmeros obstáculos são encontrados ao nível de todos os intervenientes do processo alimentar (desde a produção de grão isentos de glúten até à panificação): há escassez na oferta de produtos sem glúten, são caros e pobres em qualidade (seja sensorial, tecnológica e/ou composição nutricional). Estas dificuldades estão também associadas à inexistência de hábitos alimentares e ao impacto negativo desta restrição alimentar no convívio social. Por outro lado, Portugal à semelhança da Europa está muito dependente de matérias-primas ricas em proteína oriundas de países terceiros como é o caso típico da soja. Em Portugal importam-se cerca de 55000 ton/ano de leguminosas pra grão para alimentação humana (FAO, 2011).
Além das leguminosas para grão, a cultura da quinoa (Chenopodium quinoa) que data de há mais de três mil anos é uma cultura muito importante a considerar introduzir em Portugal uma vez que numa só espécie reúne as características necessárias para minimizar a importação de proteína e contribuir para dieta saudável isenta de glúten. A quinoa é um dos pilares da alimentação na América Latina (Andes) de onde é originária e também denominada por “pseudo cereal” por possuir um elevado teor de proteínas (entre 14 e 18%) e não conter glúten, o que constitui uma mais-valia para incorporar na dieta de doentes celíacos e alérgicos ao glúten.
Nos últimos anos tem-se verificado um crescente interesse pela introdução de novas culturas nos sistemas de agricultura portuguesa que contribuam para satisfazer as novas exigências ou oportunidades de mercados internos.
"
Objetivos visados "Como objetivo geral procuramos conhecer melhor a cultura da quinoa, identificar materiais vegetais bem adaptados às condições edafo-climáticas da região mediterrânica, valorizar a espécie junto dos agricultores e industria (panificação).
Como objetivos específicos e instrumentais salientam-se:
• Identificar e selecionar o material vegetal melhor adaptado às condições edafo-climáticas da região mediterrânica, com maior capacidade produtiva e alto valor nutritivo (para uso na alimentação de celíacos);
• Candidatura de uma variedade no Catálogo Nacional de Variedades (CNV) com alto valor agronómico e qualitativo e enriquecer o banco de germoplasma;
• Demonstrar, sensibilizar, promover e “criar saber” junto dos atores diretos – agricultores com a elaboração de um itinerário técnico;
• Criar novas oportunidades de mercado para a indústria panificadora e de massas alimentícias;
• Responder a um nicho de mercado em expansão (produtos isentos de glúten) com uma cultura de elevada riqueza nutricional;"
Tipologia de resultados a atingir e potenciais beneficiários"Os resultados que iremos obter, contribuirão para aumentar o conhecimento sobre a produção e processamento de uma matéria-prima em Portugal, que até agora apenas é importada e para a divulgação de um produto que passará a ser produzido no nosso país, mais adaptado ao consumidor nacional.
Os testes realizados no campo (em ensaios de adaptação - INIAV), para determinar a adaptação da cultura, e, no laboratório (INIAV) para avaliar o valor nutritivo das sementes serão fundamentais para a seleção das linhas / genótipos mais promissores.
As linhas eleitas a partir dos resultados obtidos no final do 1º ano conduzem à instalação das mesmas em grande parcela (em casas de agricultores). A semente obtida em maior quantidade será alvo de ensaios para ajustamento de processo e formulações, com diferentes espécies, para panificação, cujos resultados, esperamos vir a contribuir para o desenvolvimento da indústria panificadora para celíacos. Estes resultados serão divulgados pela Associação Portuguesa de Celíacos (APC).
Por outro lado, a interpretação conjunta de todos os resultados conduzirá, no último ano da proposta, à candidatura de uma ou mais linhas ao CNV que serão disponibilizadas aos empresário agrícolas para serem produzidas, processadas na indústria panificadora e colocadas no mercado nacional.
A panificação, rica em quinoa com proteínas isentas de glúten contribui para a expansão de um novo produto para uma alimentação mais saudável, sobretudo para pessoas intolerantes ao glúten.
Como o conhecimento sobre a quinoa em Portugal é escasso, será necessário envolver todos os parceiros em todas as atividades da iniciativa, de modo a proporcional uma equipe multidisciplinar.
Todos os resultados serão alvo de transferência de conhecimento e tecnologia entre os diferentes sectores envolvidos - Investigação e Desenvolvimento / Produção / Industria / Consumidores.
Os principais beneficiários são:
• Técnicos, Cooperativas e Agricultores - a introdução de uma nova espécie, rica em proteína vegetal, na rotação, será uma oportunidade para os agricultores e suas organizações que poderão diversificar as suas actividades e produções
• Empresas - Indústria agro-alimentar – alternativa como nicho em expansão no momento atual; uso da produção interna em detrimento importação e menor dependência do mercado e custos de importação
• Investigação – ganho adquirido pelo contacto com os agricultores e suas organizações e industria.
• Publico em geral – através do desenvolvimento regional e ganho na economia nacional.
• Economia Nacional – Diminuição da dependência externa em termos de proteína isenta de glutén, contribuinda para a melhoria do défice agro-alimentar Nacional
"
InterlocutorIsabel Duarte
MoradaEstrada de Gil Vaz
LocalidadeElvas
Código postal7350 - 901
Telefone268637785
Iniciativa semelhante 
  

 


Desenvolvido pela informática da DGADR
WAI-A